sábado, 12 de janeiro de 2013

Estreito de Dardanelos

 
Estreito de Dardanelos
 
  
Vista de Lapseki
Estamos cruzando o estreito de Dardanelos de Gelibolu para Lapseki num ferry.Nosso objetivo é chegar a visitar as antigas ruínas da mítica cidade de Tróia.
 

 
 
Navios entrando no estreito de Dardanelos
Foto tirada na direção oeste onde fica a abertura do estreito para o Mar Jônico. O efeito é surpreendente pois é como se os navios estivessem navegando sobre um mar de metal líquido.
 
 
Navios entrando no estreito de Dardanelos
Em fila interminável estes navios entraram no estreito pelo Mar Jônico e buscam o Mar de Marmara para chegar a Istambul e depois pelo estreito de Bósforo demandam os portos do Mar Negro de nações como a Bulgária, Romênia, Rússia e Geórgia!
Sombras sobre um Cenário de Mito e História
As sombras silenciosas dos navios mercantes que entram no estreito de Dardanelos são  projetados sobre um cenário de milênios de mitologia e história. O nome de Dardanelos era  Helesponto, devido a lenda de Helle que montada sobre uma águia caiu, afogando-se nestas águas. Assim como Paris e Helena, personagens de uma história quase mítica, de uma Tróia descoberta pelos versos de Homero, que pereceram pela glória da Grécia. Também  é claro, a trágica história de 130 000 jovens Neo-Zelandeses, Australianos e Turcos que pereceram na aventura militar de Galipoli na Primeira Guerra Mundial, e que também singraram estas águas do Dardanelos. Talvez seja por isso que estes navios passam assim ,como sombras silenciosas. Silêncio pelas tragédias que a história nos conta.
 
 
Navios navegam sobre um mar de prata
A inclinação da luz solar a esta hora(em torno das 14h30m), cria este incrível brilho na superfície das águas. O brilho cega ao espectador, mas a foto capta o segredo arcano do momento. Navegamos sobre um mar de enigmas de história e mitologia e neste momento sabemos que somos apenas pobres profanos, sem ao menos a clarividência necessária para traduzir este grandioso quadro.
 
 
 
Navio silencioso se aproxima
Saído do mito arcano do tempo eis que a sombra se aproxima silenciosa, quase inexistente,assim como o Navio Fantasma da ópera de Richard Wagner, onde torturados eternos, o navio o capitão e sua tripulação, purgam um pecado irredimível em um ciclo sem fim de dor,aflição e sofrimento.
 
 
Ferries cruzam a trajetória dos navios
Os ferries que atravessam o estreito de Gelibou para Lapseki, interceptam a trajetória dos navios que entram e saem pelo Dardanelos.
 
 
 
Torres com Cataventos
No alto das montanhas da margem sul do estreito pode-se ver muitas torres com cataventos para produção de energia alternativa eólica.O deus Éolo, o deus dos ventos e quem desencadeava as tempestades na mitologia Greco-romana deve estar bem satisfeito pelo reconhecimento de sua força e capacidade. Espero que a Turquia não faça como nós brasileiros que construímos rêdes com torres de cataventos como estes para produzir energia elétrica, mas não construímos redes para distribuí-las!( Ver o caso do Parque eólico de Caetité, na Bahia parado por falta das linhas de transmissão!)
 
 
Procissão silenciosa
Constante e definitivamente os navios vão se esgueirando por dentro do sistema de navegação entre o Mar Negro e o Mar Jônico, singrando por um mar de prata.
 
 
Intenso transporte de carga
Os navios vão chegando e vão saindo pelo Dardanelos com suas cargas preciosas, levando a abastança e a riqueza alhures, aonde quer que seja.